Tuesday, April 17, 2007

trecho (ótimo) de um conto (nem tanto)

"(...) e me olhou de alto a baixo, sem me dar nenhuma palavra, mas eu também não estava interessado no que ele estava pensando; o que os outros pensam da gente não interessa, só interessa o que a gente pensa da gente; por exemplo, se eu pensar que sou um merda, eu sou mesmo, mas se alguém pensar isso de mim o que que tem?"

1 comment:

flyingduck100@hotmail.com said...

Marcella, vc é uma pessoa muito bacana.Só pelas poucas palavras dá pra sacar isso.
Só de ter saco de fazer um blog e as vezes pintar aqui e escrever algo tem meus parabéns,mesmo que talvez não signifique nada pra vc meu comentário.rs Talvez vc use o site para um brain storm pessoal sei lá,rs.Mas sinceramente,ainda bem que vc não atualiza muito e vive.Muito melhor do que parar e ficar escrevendo.

Achei ducacete a tal máquina da fertilidade,rs


Parece que vc se amarra no Lloyd Cole. Tb acho d+ a música do cara,aliás elas me fazem viajar no tempo e lembrar da década de 80 vendo vídeos de surf com suas músicas no final da noite ,lembrando um dia de surf com os amigos.

Bom via emule (www.emule-project.org) eu consegui muita coisa legal do cara.

Beijos e seja muito feliz,sempre.

Dá pra ouvir tb o disco Lloyd Cole Collection na radio uol(link direto pro disco abaixo):

http://app.radio.musica.uol.com.br/radiouol/player/frameset.php?opcao=umcd&nomeplaylist=002464-8<@>The_Collection


O limite do seu alcance é diretamente proporcional a sua capacidade de sonhar!